Edilson Rodrigues/Agência Senado
Spread the love

 

Três Perguntas para o Senador Eduardo Gomes (MDB-TO), vice-líder do governo e segundo-secretário do Senado.
Qual a expectativa de tempo para que o Senado aprove a Reforma da Previdência?

A nossa expectativa para a votação da Reforma no Senado é de que ocorra em 45 dias, porque o relator, Senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), vem preparando uma consulta prévia senador a senador sobre alguns pontos, alguns aspectos da reforma. Então, compreende-se até agora que há uma maioria consistente sobre a inclusão de estados e municípios e que isso também dê a ele uma possibilidade de aprovação praticamente com os outros pontos todos aprovados pela Câmara sem nenhuma mudança substancial.

Além da inclusão de estados e municípios na reforma, algo mais pode ser alterado no texto pelo Senado?

Além da inclusão de estados e municípios, não há muitas expectativas. A tendência é manter o texto [da Câmara]. Em que pese o tema ser estados e municípios, há uma tendência muito forte para que isso ocorra através do início da tramitação de uma PEC paralela.

O Senado também possui uma proposta de Reforma Tributária. Será analisada em paralelo com a da Previdência?

Com relação à proposta de Reforma Tributária, entendemos que pela participação efetiva dos governadores e pela própria característica do Senado, de ser a Casa da Federação, com todos os estados tendo o mesmo número de representantes, a tendência é que a Reforma Tributária caminhe com velocidade. Muito mais rápido que na Câmara, para que os estados tenham um resultado mais ágil e eficiente. A gente entende que, sob a relatoria do senador Roberto Rocha (PSDB-MA), essa proposta vai caminhar com celeridade e essa é a expectativa para o segundo semestre.