Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (29), em entrevista coletiva que “um dia se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, eu conto para ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Eu conto para ele”.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, é filho de Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, que desapareceu no período da Ditadura Militar. Felipe já havia pedido a cassação do mandato de Bolsonaro enquanto era deputado após ter homenageado o ex-coronel Carlos Brilhante Ustra há alguns anos. 

A OAB divulgou, horas após o ataque, uma nota em repúdio à atitude do presidente. “Apresentamos nossa solidariedade a todas as famílias daqueles que foram mortos, torturados ou desaparecidos, ao longo de nossa história, especialmente durante o Golpe Militar de 1964, inclusive a família de Fernando Santa Cruz, pai de Felipe Santa Cruz, atingidos por manifestações excessivas e de frivolidade extrema do Senhor Presidente da República”, diz o texto.

Santa Cruz também respondeu à declaração de Bolsonaro em uma carta aberta na internet, onde afirmou que “o mandatário da República deixa patente seu desconhecimento sobre a diferença entre público e privado, demonstrando mais uma vez traços de caráter graves em um governante: a crueldade e a falta de empatia”.