Filipe Redondo/ÉPOCA
Spread the love

O governador João Doria resolveu apostar em um programa de concessões e parcerias para tentar atrair até R$ 37,6 bilhões em investimentos privados ao estado.

Elaborado desde o início do ano, o programa foca na internacionalização. Em agosto, Doria irá à China abrir o primeiro escritório comercial do estado no exterior com um portfólio de 21 projetos. 16 são concessões e cinco são Parcerias Público Privadas (PPPs).

As obras de infraestrutura respondem por 52% dos projetos ofertados, mas são as que mais agregam valor. Só a quarta etapa do programa de concessões de estradas paulistas sugere um investimento de R$ 14 bilhões, o maior do pacote.

João Doria herdou um déficit de R$ 10,4 bilhões em caixa, o que obrigou um contingenciamento de R$ 6 bilhões em investimento e custeio, sobraram R$ 14,7 bilhões nessa rubrica para gasto em 2019, patamar semelhante aos R$ 12,4 bilhões empenhados em 2018. O orçamento total do governo, com a medida, ficou em R$ 254 bilhões, e o PIB paulista é de cerca de R$ 2 trilhões (quase 1/3 do total nacional).

O investimento é um dos principais obstáculos à retomada do crescimento. Segundo a Instituição Fiscal Independente do Senado, é necessária uma taxa equivalente a 21% do PIB para que o país saia do marasmo e triplique seu crescimento anual para 3%.

No primeiro trimestre, o Brasil teve uma das taxas mais baixas de investimento de sua história, 15,8%. Historicamente, o setor público puxava o movimento, mas agora o privado responde por 85% do volume, que ainda é baixo.