Roque de Sá/Agência Senado

Alguns senadores preveem que a conclusão da Reforma da Previdência levará entre 45 e 60 dias. Acredita que a Casa seguirá esse prazo?
Acredito que se cumpra esse prazo, sim, porque toda a força dos partidos que apoiam o governo, incluindo aqueles que compõem a Mesa Diretora do Senado, será usada para aprovar, sem alteração, o texto vindo Câmara para que ele não precise retornar.

Pelo que se vê, há um clima mais favorável no Senado à inclusão de estados e municípios na reforma. Qual a posição do PT sobre o tema?
A bancada do PT ainda não se posicionou sobre o assunto, mas, como presidente da Frente Parlamentar Norte, Nordeste e Centro-Oeste, penso que a inclusão dos estados e municípios na reforma dependerá do quanto o governo vai ceder na distribuição da arrecadação. Por exemplo, no caso do pré-sal e de outras contribuições que aliviem o passivo previdenciário de estados e municípios. Porque, segundo os governadores do Nordeste, a reforma que o governo federal está fazendo aliviará muito pouco o caixa dos governos estaduais e municipais na diminuição do déficit previdenciário.

Que pontos o partido pretende alterar na proposta?
A bancada do PT no Senado ainda está estudando possíveis alterações que venham a amenizar os danos já provocados pela atuação do governo. Contudo, ainda não fechamos questão.