Divulgação/Hypeness

Durante a Copa do Mundo Feminina neste ano, a torcida e as jogadoras reivindicaram salários iguais para homens e mulheres. Com o assunto em pauta, o governador do estado de Nova York, Andrew Coumo, anunciou na última quarta-feira (10), uma lei que proíbe desigualdade salarial entre homens e mulheres na mesma função. 

A seleção feminina de futebol dos EUA processou a Federação Americana por discriminação de gênero. O time feminino venceu cinco Copas do Mundo e possui diversas outras conquistas, enquanto o time masculino nunca foi campeão mundial.

A lei, que é parte da Agenda de Justiça para as Mulheres 2019, foi anunciada durante o desfile em homenagem à seleção feminina, onde Coumo afirmou que “Nova York vai continuar liderando o caminho e se colocando ao lado das mulheres e meninas em todas as partes do estado”.