Durante a foto oficial do G20 em Osaka, onde acontece a cúpula, o presidente francês, Emmanuel Macron, posicionou-se ao lado de Jair Bolsonaro. E esse, muito provavelmente, foi o único momento de maior proximidade entre os dois. Pelo menos do ponto de vista oficial.

É que o governo francês, um dos maiores críticos europeus da administração Bolsonaro — inclusive ameaçando não assinar acordo comercial com o Mercosul caso o Brasil deixe o acordo climático de Paris — cancelou a reunião.

Posteriormente, os franceses alegaram que o encontro jamais esteve confirmado. O curioso é que ele fazia parte da agenda oficial divulgada pelo Itamaraty.

Existe a possibilidade de que ainda ocorra um encontro entre os dois presidentes, porém não teria o peso e a formalidade de uma reunião bilateral, como chegou a anunciar a chancelaria brasileira.