Nessa quarta-feira (26), a diretoria da ANP aprovou a realização de consulta pública, por 45 dias, de proposta de resolução que visa aprimorar a qualidade da gasolina automotiva brasileira.

A resolução estabelece as especificações e as obrigações quanto ao controle da qualidade a serem atendidas pelos agentes econômicos, em substituição à Resolução ANP nº 40, de 2013.

De acordo com a ANP, a revisão da especificação da gasolina automotiva contempla, principalmente, dois pontos. O primeiro é o aumento da massa específica mínima da gasolina, o que significa mais energia e menos consumo. O segundo é a fixação de limites para a octanagem RON, já presente nas especificações da gasolina de outros países. A fixação de tal parâmetro mostra-se necessária devido às novas tecnologias de motores e resultará em uma gasolina com maior desempenho para o veículo.