Durante audiência desta terça-feira (19), na Comissão de Educação, o advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça, pediu ao STF que libere a atuação da polícia nas universidades públicas e privadas.

Deputados divergiram sobre a iniciativa .”Essa história de querer exercer o patrulhamento ideológico para que professores não possam ter na universidade o estabelecimento do que é o pensamento crítico não pode ser tolerado. As universidades federais e os institutos federais são espaços, sim, para que a reflexão crítica se estabeleça”, disse o deputado Glauber Braga (Psol-RJ).

A deputada Carla Zambelli(PSL-SP), defendeu a presença de policiais nas universidades. “Quem pode ser contra um policial estar dentro de um campus, que normalmente é gigantesco para poder prover mais segurança para as pessoas? Quem tem medo de polícia, normalmente, é ladrão! Ou então é usuário de drogas. Pessoas normais, que não cometem crime nenhum, não têm nenhum problema de ter a polícia perto delas.”