Após uma semana de atritos, demissões e vazamentos, as lideranças do Congresso avaliam que o governo está confuso e desorganizado. E que, sem o apoio de Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, e de Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, não conseguirá aprovar a Reforma Previdenciária.

Além da desorganização na coordenação, as lideranças criticam o fato de a equipe econômica ser monotemática: cobra muito do Congresso e entrega pouco quanto à melhoria do ambiente de investimentos no país.

Para senadores e deputados da elite parlamentar, a Medida Provisória da Liberdade Econômica é considerada uma boa iniciativa, mas é pouco para o tamanho da burocracia brasileira. Afirmam que a economia está parando, que os juros deveriam estar caindo e que o governo nada faz para reduzir o inexplicável spread bancário nos empréstimos. Consideram que o governo está capturado pela agenda da reforma e com poucas iniciativas fora dela.