Empresas petroleiras demonstram preocupação com a escalada de ataques a seus navios na região do Estreito de Ormuz. Tripulações têm tido que abandonar os navios na costa do Irã e o governo americano, por meio tanto do secretário de Estado, Mike Pompeo, quanto do próprio presidente, Donald Trump, não hesitam em culpar os iranianos.

O clima de insegurança no Estreito de Ormuz causa tensão não apenas do ponto de vista de possíveis retaliações militares, mas também pelo lado econômico.

Com uma distância de não mais de 33km entre as margens naquele que é o seu ponto mais estreito, o local estabelece uma intersecção entre o Golfo Pérsico, o Golfo de Omã e o Mar da Arábia, passando por ali 20% de todo o petróleo produzido no mundo.

Até o momento, nenhum grupo terrorista assumiu a autoria dos ataques.

Compartilhe