O Facebook anuncia, por meio de seu executivo-chefe de Marketing, Antônio Lúcio, que deve dobrar os recursos destinados a propaganda institucional, de modo a remediar os recentes escândalos envolvendo as políticas de privacidade da companhia.

De acordo com o executivo, a empresa já começou a atacar esses problemas na prática: o aplicativo para celular e o site estão sendo redesenhados, passando de um fórum público para uma rede mais privada, com espaço para grupos fechados e encriptados de conversação.

O governo americano investiga o Facebook há mais de um ano, quando surgiu o escândalo do vazamento de dados pessoais de milhões de clientes que acabaram caindo nas mãos da Cambridge Analytica, empresa acusada de envolvimento com a interferência russa nas eleições de 2016.