Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em meio a alteração da proposta original do governo sobre a Nova Previdência, o relator sugeriu aumentar a alíquota de Contribuição sobre Lucro Líquido dos bancos, de 15% para 20%, representando R$5 bilhões ao ano.

Outra fonte de recursos seria a transferência dos repasses do FAT do BNDES para a Previdência. “Banqueiros também precisam de cota de sacrifício”, afirmou o presidente da Comissão Especial, Marcelo Ramos (PL-AM). Segundo ele, a taxação dos bancos é um bom indicador para a sociedade.

Internamente, não há concretude no prazo para a votação no plenário da Câmara. Há nos bastidores uma sensação de que a proposta só será votada após o recesso do meio do ano.