Durante audiência pública nesta quinta-feira (13), a Comissão de Segurança Pública da Câmara discutiu o decreto das armas (9.785/19), baixado pelo presidente Jair Bolsonaro há pouco mais de um mês.

O decreto facilita o porte de armas para categorias profissionais como advogados, políticos, caçadores, caminhoneiros e até jornalistas investigativos. O decreto também permitia a compra de armas de alto calibre por civis, mas outro decreto emitido duas semanas depois proibiu isso.

A questão ganhou força por causa da votação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, que aprovou projetos que derrubam o decreto das armas. As propostas ainda precisam ser votadas pelo Plenário daquela Casa.