O Ministério da Economia estuda liberar dinheiro de contas ativas do FGTS para impulsionar a economia, segundo afirmou ontem o ministro Paulo Guedes.  O objetivo é  permitir o acesso ao dinheiro de contas ativas, vinculadas a trabalhadores . “Vamos liberar PIS/Pasep, FGTS, assim que saírem as reformas”, afirmou.   Estimativas indicam que até 22 bilhões de reais poderiam ser injetados na economia com a medida.

Porém, o condicionamento à aprovação das reformas  pareceu contraditório para alguns parlamentares ouvidos pelo O Brasilianista. Para eles, as medidas deveriam se tomadas imediatamente para aquecer a economia e não depois da aprovação da reforma previdenciária.

Um deles, que prefere não se identificar, considera que condicionar a liberação à aprovação da reforma é uma espécie de chantagem com o Congresso.  Por transferir para os parlamentares a responsabilidade da equipe econômica em fazer a economia funcionar.