O renomado jornal The Financial Times não poupou palavras críticas ao governo Jair Bolsonaro, ainda por conta do imbróglio envolvendo a homenagem organizada pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, onde receberia o prêmio de homem do ano.

Após as idas e vindas entre endereços nova-iorquinos que receberiam o evento, todos sofrendo pressões de grupos políticos e eventualmente desistindo de sediá-lo, sem contar os ataques públicos feitos pelo prefeito local, Bill de Blasio, o governo brasileiro decidiu que o presidente receberia a honraria em Dallas.

Segundo o Times, Bolsonaro perdeu uma chance única de se mostrar para potenciais investidores em um momento em que o Brasil tanto precisa passar bons sinais ao exterior de forma a atrair capital estrangeiro.

Para além das opiniões do jornal, vale ressaltar que não há inocentes nessa questão: sim, Jair Bolsonaro provoca, desde o período eleitoral até os dias atuais, toda sorte de reações adversas. Isso se deve não só a falas suas, mas também ao comportamento por vezes inconsequente de seus assessores mais próximos. O presidente precisa rever tal postura com alguma urgência, se não quiser ferir de morte as reformas econômicas e a sua própria governabilidade.

Isso posto, Bill de Blasio, democrata, percebeu na visita do presidente, sabidamente vinculado à imagem de Donald Trump, uma oportunidade para se mostrar ao seu eleitorado. Não por acaso, lançou no início desta semana a sua pré-candidatura à presidência dos Estados Unidos.