O ex-prefeito do Rio e vereador Cesar Maia (DEM) viu no anúncio do presidente Jair Bolsonaro de que poderiar nomear o ministro da Justiça, Sergio Moro, para o Supremo Tribunal Federal (STF) como um primeiro movimento da sucessão presidencial de 2022.

A vaga será aberta em um ano e meio com a aposentadoria do decano da Corte, Celso de Mello. “Ele (Bolsonaro) precisa tirar da frente aqueles que são adversários muito fortes, que é o caso do Moro”, diz o ex-prefeito e pai do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Para Maia, a eleição foi muito influenciada pelo atentado sofrido por Bolsonaro, que gerou um efeito de vitimização. Agora, passado o tempo e empossado na Presidência, ele enfrenta problemas concretos, enquanto o impulso dado antes pelas redes sociais mostra sinais de esgotamento. “É por isso que Bolsonaro tem dado muitas entrevistas na televisão.”