O caso envolvendo Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB ainda está longe de uma conclusão. A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) havia decidido revogar a prisão dos envolvidos, restituir o mandato e providenciar a soltura, na sexta-feira (17). Hoje os juízes federais da 1a seção especializada do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro consideraram por unanimidade que os atos da Alerj foram ilegais e restabeleceram as prisões dos três deputados.

Os três já se apresentaram à Polícia Federal e foram encaminhados de volta para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, onde também estão outros presos da Lava Jato, como o ex-governador Sérgio Cabral.

O advogado do ex-presidente da Alerj Jorge Picciani, irritado com as declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, sobre o caso disse que o magistrado estaria “falando em demasia”. Fux fez declarações sobre a decisão da Alerj e uma possível candidatura de Joaquim Barbosa durante uma viagem à Londres.

Voto distrital misto

Avança no Senado a proposta de adoção do sistema distrital misto para as eleições de deputados e vereadores. Por 40 votos a 13 a proposta foi aprovada e será enviada para a Câmara. Pelo modelo, o eleitor votará duas vezes, em um candidato e também em uma legenda que apresentará uma lista fechada de candidatos. Se aprovada na Câmara e sancionada a regra passará a valer em 2020.

Com informações da Folha e d’O Globo.