A indicação de Sergio Sveiter (PMDB-RJ) como relator da denúncia contra o presidente Michel Temer na CCJ desagradou o governo e aliados, pois a possibilidade de um parecer contrario é real. O desembarque do PSDB também pode estar próximo com o andamento da denúncia atual e da possibilidade de novas serem apresentadas pela PGR. Nesse cenário, o senador Tasso Jereissati (CE), presidente interino do PSDB, disse nesta quinta-feira (6) que, se Michel Temer for afastado do cargo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), “tem condições” de conduzir a transição do país até as eleições de 2018.

“Se vier a afastar o Temer, Maia é presidente por seis meses. Aí ele tem condições de fazer, até pelo cargo que exerce como presidente da Câmara, de juntar os partidos ao redor de um nível mínimo de estabilidade do país”, disse.

Caso a denúncia seja aceita Maia assume automaticamente a presidência por 180 dias e torna-se um nome forte para a eleição indireta.

Conselho de Ética arquiva novamente processo de Aécio Neves

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, lamentou nesta quinta-feira, 6, a decisão do Conselho de Ética do Senado de arquivar o pedido de cassação de Aécio Neves (PSDB-MG). Por 11 votos a quatro, o tucano se livrou da representação por quebra de decoro parlamentar.

Para Lamachia, a decisão ‘é só mais um episódio que demonstra o descompasso entre a classe política e os anseios da sociedade’.

“O presidente do Conselho de Ética, senador João Alberto, já havia arquivado sumariamente o caso. Agora, o colegiado ratifica a decisão, reforçando as dúvidas e as especulações sobre eventuais acordos que possam estar sendo feitos nas sombras”, afirmou.

Fim da força-tarefa da Lava-Jato

Mudanças na rotina da força-tarefa da Lava-Jato deixam apreensivos procuradores e delegados. Por falta de contingente na Polícia Federal, os agentes seguirão trabalhando na investigação mas sem exclusividade. Terão pela frente as investigações da Operação Carne Fraca, por exemplo.

A delação de Eduardo Cunha

Em uma semana de notícias não tão boas para o Palácio do Planalto, a certeza de que o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha está mesmo negociando uma delação premiada era a gota que faltava. Ainda sem muitos detalhes interlocutores asseguram que entre os delatados está o nome do presidente Michel Temer. Veja o vídeo da Globo News.

Com informações do Estadão, Folha e GloboNews.