O advogado Antônio Claudio Mariz de Oliveira entregou na tarde desta quarta-feira (5) a defesa do presidente Michel Temer, abrindo a contagem de prazo para que a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara se manifeste sobre a denúncia de que o presidente Michel Temer cometeu crime de corrupção passiva.

Tenha acesso à integra do documento AQUI.

Cronograma do governo é missão impossível

Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), presidente da CCJ, marcou para segunda-feira (10), às 14h30, a leitura do parecer do relator Sérgio Zveiter (PMDB-RJ). Após a apresentação do parecer, haverá pedido de vista. A discussão terá início na quarta-feira.

Para discutir o parecer, cada membro titular (66) e suplente (66) poderá falar por até 15 minutos. Também será dado oportunidade para 40 não-membros da comissão participarem dos debates, sendo que 20 falarão contra a denúncia e 20 a favor por até 10 minutos. Ou seja, pelo menos 40 horas de discussão com 172 deputados podendo se manifestar.

O objetivo do governo era concluir a aprovação da denúncia em plenário até o dia 17 de julho. Porém, o cronograma anunciado hoje pelo presidente da CCJ dificulta essa intenção. O governo pode, no limite, “segurar” a votação da LDO para votar a denúncia até o dia 20 ou 21/07.