O advogado Antônio Claudio Mariz de Oliveira entregou na tarde desta quarta-feira (5) a defesa do presidente Michel Temer, abrindo a contagem de prazo para que a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara se manifeste sobre a denúncia de que o presidente Michel Temer cometeu crime de corrupção passiva.

No documento de 98 páginas, além dos anexos, Mariz diz que a defesa de Temer é centrada “na negativa da prática do delito de corrupção”. Tenha acesso à integra do documento AQUI.

Maratona de Temer

Com uma agenda de encontros que teve início às 8h11 e se estendeu por 15 horas, o presidente Michel Temer recebeu 30 deputados federais, a maior parte em encontros isolados, em uma maratona para tentar barrar na Câmara a denúncia que ameaça lhe retirar o cargo.

A pressa do Planalto em resolver a denúncia antes do recesso pode morrer na praia. O presidente da CCJ, Rodrigo pacheco (PMDB-MG) e Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) já deram a entender que a tramitação pode levar mais tempo do que gostaria o presidente Temer. A não ser que consiga atrasar a votação da LDO, a votação no plenário pode ficar para agosto.

Tasso admite que PSDB pode desembarcar em breve

Presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), declarou que a posição do partido “é cada vez mais clara” pela saída do governo do presidente Michel Temer.

“O posicionamento é pelo desembarque, não é de oposição ao governo”, disse Jereissati.

No entanto, Aécio Neves, que foi autorizado pelo STF a retornar ao Senado esta semana, acredita que o partido deve  manter a participação direta no governo, sem entregar os cargos que possui. Aécio deve decidir se retorna ou não à presidência a legenda e enfrentará os que defendem o desembarque imediato.

Com informações do Estadão e Folha.