Na quarta-feira (22), o governo divulga o relatório de receita e despesa do primeiro trimestre do ano. Está sendo avaliado um corte entre R$ 60 e R$ 65 bilhões no Orçamento.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que, juntamente com o relatório de receitas e despesas, será anunciado se haverá a necessidade de aumento de impostos e quais as propostas do governo.

Entre as alternativas de aumento de tributo estão PIS/Cofins, Cide sobre combustíveis e IOF sobre câmbio. Esses aumentos podem ser feitos via decreto, sem passar pelo Congresso. A expectativa é que a necessidade ou não de aumento de imposto seja discutida entre segunda e terça-feira.

TENDÊNCIA: Corte em torno de R$ 60 bilhões

Câmara tenta votar terceirização

A Câmara marcou para terça-feira (21) a votação do projeto de lei que regulamenta a terceirização. Se aprovado, o projeto, que permite a terceirização de qualquer atividade segue para sanção presidencial.

Líderes de centrais sindicais farão mobilização em Brasília na terça-feira contra o projeto. Eles terão encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para tentar impedir que ele seja colocado em votação.

Há outra proposta no Senado sobre o assunto. O relator é o Paulo Paim (PT-RS), contrário ao tema. Como a matéria está parada desde 2015, o governo tem preferência pelo texto da Câmara.

TENDÊNCIA: Aprovação

Manifestações a favor das reformas

No domingo (26), os grupos Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua fazem manifestações em todo o país a favor da Operação Lava-Jato, pelo fim do foro privilegiado, pelo fim do estatuto do desarmamento e pelas reformas Trabalhista e da Previdência.

A manifestação acontece poucos dias depois de centrais sindicais fazerem mobilizações (14/03) em 19 cidades contra a Reforma da Previdência.

As manifestações contra as reformas superaram as expectativas do governo. Portanto, serão inevitáveis as comparações entre as duas.

TENDÊNCIA: Adesão modesta