O presidente Michel Temer já está com a carta de Geddel Vieira Lima pedindo demissão da Secretaria Geral do Governo. Fontes com acesso ao Planalto acham que a saída dele contribui para desinflar boa parte da crise. “Foi uma tempestade de verão”, disse.

O palácio tem a avaliação de que o ex-ministro Marcelo Calero colaborou com orientação do prefeito do Rio, Eduardo Paes, com o objetivo de esvaziar um pouco a crise carioca e jogar lenha no escândalo Geddel.
No Itamaraty, casa de origem de Calero, não caiu bem a agitação gerada pelos últimos acontecimentos. Especula-se que o ex-ministro tem planos para se candidatar a deputado federal em 2018.