A prisão do ex-governador Sérgio Cabral foi mais um baque no PMDB do Rio. No entanto o efeito mais direto da mais recente ação da Lava Jato é uma provável mudança estratégica do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB). Mesmo citado em delações da Lava Jato Paes ainda não teve nenhum envolvimento comprovado e esperava deixar o cargo no auge com o legado das Olimpíada e obras de infraestrutura. A prisão do correligionário e mentor Sergio Cabral pode ser o que faltava para que Paes decida mudar de legenda, se afastando da imagem desgastada do PMDB. (Folha)

Lava Jato devolve R$ 204,2 milhões para a Petrobrás

O Ministério Público Federal (MPF) anunciou a devolução de R$ 204,2 milhões, recuperados pela Operação Lava jato, para a Petrobrás. É a terceira maior devolução de recursos recuperados da corrução. A soma das três transferências já chega a aproximadamente R$500 milhões. Os valores estavam depositados judicialmente na 13a Vara Federal Criminal de Curitiba e foram recuperados por meio de acordos de colaboração de pessoas físicas e jurídicas com a Procuradoria da República. A devolução teve uma cerimônia no auditório do MPF do Paraná e contou com a presença da procuradora-chefe do órgão, Paula Cristina Conti Thá, os procuradores da força-tarefa da Lava Jato e representantes da Polícia Federal, Receita Federal e Justiça Federal do Paraná. Estiveram presentes também o presidente da Petrobras, Pedro Pullen Parente e representantes da Organização Não-Governamental (ONG) Transparência Internacional. (Estadão)

Desastre em Mariana: Samarco, Vale e mais 24 são réus

O maior desastre ambiental do Brasil ganhou um novo capítulo. A Justiça Federal de Minas Gerais aceitou denúncia do MPF contra as empresas Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBR. Além disso 22 pessoas também são acusadas, pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, que deixou 19 mortos e afetou 39 cidades de MG e ES, em 2015. As acusações são de crimes ambientais e homicídios e o Juiz responsável determinou a prioridade na tramitação e retirada de sigilo do novo processo. Os réus terão 30 dias para apresentar defesa no processo criminal. (O Globo)