Os tucanos conquistaram uma vitória histórica nas eleições deste ano. O PSDB venceu em 28 cidades do chamado G-92. Foi o maior triunfo eleitoral de um partido nos últimos 20 anos. Até então, o melhor desempenho pertencia ao PT (25 cidades conquistadas em 2008). O resultado tucano de 2016 superou o de 1996, quando o partido conquistou 21 cidades, no governo FHC.

O PMDB, com 15 prefeituras, foi a segunda legenda com o melhor desempenho nos municípios acima de 200 mil eleitores, seguido pelo PSB, PPS e DEM (ver tabela).

captura-de-tela-2016-10-31-as-16-31-54

O grande derrotado foi o PT, que venceu em apenas uma cidade no G-92 – Rio Branco. Perdeu ainda o protagonismo na centro-esquerda (PSB e PDT superaram em número de prefeituras) e foi ultrapassado por partidos médios.

psdb-1

Vitória tucana nas capitais

A conquista de sete capitais representa um grande trunfo para o PSDB. Nos últimos 16 anos, este resultado só foi inferior ao do PT em 2004, quando os petistas ficaram com nove capitais. Mas os tucanos ficaram de fora das duas disputas mais polarizadas.

No Rio de Janeiro, o senador e bispo da Igreja Universal, o conservador Marcelo Crivella (PRB), saiu vitorioso do duelo com Marcelo Freixo, de esquerda, deputado estadual pelo PSOL, outro extremo do arco ideológico. Em Belo Horizonte, o cartola Alexandre Kalil (PHS) e o ex-goleiro João Leite (PSDB), ambos egressos do Atlético, protagonizaram a mais violenta troca de ataques das recentes campanhas. João Leite é afilhado político do senador Aécio Neves.

Longe desse cenário, além de reconquistar São Paulo, com João Doria Júnior, os tucanos tiveram uma vitória inédita em Porto Alegre com Nelson Marchezan Júnior. Também capturou três capitais do Norte (Belém, Manaus e Porto Velho) e outras duas do Nordeste (Alagoas e Teresina).

Apesar de o PMDB ter vencido em quatro capitais, as cidades conquistadas (Boa Vista, Cuiabá, Goiânia e Florianópolis) têm menos peso político que aquelas tomadas pelos tucanos.

PDT surpreende

A captura de três capitais (Natal, Ceará e São Luís), todas no Nordeste, foi uma surpresa do PDT.  Desponta como o partido de centro-esquerda com o maior número de prefeitos nas capitais.

Ao ficar apenas com Rio Branco, o PT foi o grande perdedor. Os petistas foram superados por PDT, PSB e PSD. Ficaram com apenas uma capital, o mesmo número do DEM, PPS, PCdoB, PHS, PMN, PRB e REDE. Também ficaram sem o controle de nenhuma capital no Nordeste, região que até recentemente era a base eleitoral da legenda.