Certamente o grande vitorioso das eleições de 2016 foi o PSDB. E isso representa uma virada na atual política brasileira.

No ano 2000, o PT colheu um grande resultado nas eleições municipais que antecederam a chegada do hoje ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto. Os petistas conquistaram seis das 26 prefeituras nas capitais. Também venceram em 22 municípios com mais de 200 mil eleitores, totalizando 187 prefeitos em todo o país. Aquela vitória eleitoral do PT foi batizada de “onda vermelha”.

Se o grande vitorioso no pleito municipal de 2000 foi o PT, nas eleições de 2016 o Brasil assiste ao surgimento da “onda azul”, numa referência ao desempenho do PSDB, o vitorioso no primeiro turno da disputa deste ano. Ao se comparar as duas ondas, nota-se que a “onda azul” apresenta resultados muito mais significativos que a “onda vermelha” de 2000.

PSDB nas capitais e grandes cidades

Nas capitais, o PSDB já elegeu dois prefeitos e pode chegar a dez conquistas, caso vença todas as disputas das quais participa em segundo turno. Nos municípios com mais de 200 mil eleitores, os tucanos já conquistaram 14 cidades e podem somar 33 ao final do segundo turno. Sem falar no total de prefeitos, que, após o primeiro turno, contabiliza 793, podendo chegar a 812 depois do dia 30 de outubro.

Se a “onda vermelha” de 2000 foi vista como uma prévia da vitória de Lula nas eleições presidenciais de 2002, o mesmo pode-se dizer com relação ao PSDB no pleito municipal deste ano. Além da simbólica conquista de São Paulo já no primeiro turno, o partido é o favorito para vencer em Belo Horizonte. Ou seja, pode vir a controlar as capitais dos dois maiores colégios eleitorais do país. Algo relevante do ponto de vista político e financeiro.

Candidatos para 2018

Além disso, os tucanos contam com três nomes fortes para disputar o Palácio do Planalto: o do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), o do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o do chanceler José Serra (PSDB-SP).

Mesmo que existam desafios internos para os tucanos, principalmente no que diz respeito à unidade da legenda, é inegável que o extraordinário resultado colhido nas urnas durante o primeiro turno das eleições municipais deste ano concede ao PSDB o direito de sonhar com o retorno ao Palácio do Planalto em 2018.