João Doria Júnior (PSDB) cresceu nove pontos percentuais na nova pesquisa Datafolha, assumiu numericamente a liderança na disputa pela prefeitura de São Paulo (SP) e deu um passo muito importante rumo ao segundo turno. Com um bom discurso, ancorado no seu sucesso como empresário e defendendo a necessidade de gestão na administração pública, Doria decolou a partir do início da propaganda eleitoral na TV, registrando um crescimento de 20 pontos em cerca de um mês.

CANDIDATOS Datafolha (23 a 24/08)

%

Datafolha (08/09)

%

Datafolha (21/09)

%

João Doria Júnior (PSDB) 5 16 25
Celso Russomanno (PRB) 31 26 22
Marta Suplicy (PMDB) 16 21 20
Fernando Haddad (PT) 8 9 10
Luiza Erundina (PSOL) 10 7 5
Outros 5 4 3
Branco/nulo 17 13 11
Indecisos 7 4 4

Celso Russomanno (PRB), que começou a disputa na liderança, perdeu quatro pontos na sondagem divulgada ontem (22). Desde o início da campanha na TV, a queda de Russomanno foi ainda mais expressiva (9 pontos). Ou seja, o candidato do PRB vem numa tendência de queda e corre o sério risco de ficar fora do segundo turno, assim como ocorreu em 2012.

Marta Suplicy (PMDB) oscilou negativamente um ponto na comparação com a pesquisa anterior, índice que está dentro da margem de erro (três pontos percentuais para mais ou para menos). Porém, na comparação com o final de agosto, Marta contabiliza um crescimento de quatro pontos.

Fernando Haddad (PT), apesar da oscilação positiva de um ponto percentual, não deve ter fôlego para reverter a atual desvantagem e chegar ao segundo turno. Pesa contra Haddad sua elevada rejeição (45% dos paulistanos não votariam no atual prefeito de jeito nenhum) e o forte desgaste do PT, consequência do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, e do ex-presidente Lula. Caso o resultado adverso se confirme, como é a tendência, o PT ficará, pela primeira vez desde 1992, de fora do segundo turno na capital paulista.

Luiza Erundina (PSOL), por sua vez, oscilou negativamente dois pontos e manteve sua trajetória de queda. Desde o início da propaganda na TV, Erundina teve uma perda de cinco pontos percentuais.

Embora João Doria Júnior, Celso Russomanno e Marta Suplicy estejam tecnicamente empatados, o significativo crescimento de Doria indica que uma das vagas no segundo turno deva ser do candidato do PSDB, com boas chances dele encerrar o primeiro turno na liderança.

Apesar de Russomanno estar numericamente à frente de Marta, a candidata do PMDB tem mais chances de ser a adversária de Doria. Mesmo que ambos tenham praticamente o mesmo índice de rejeição (29% para Marta e 27% para Russomanno), a peemedebista mostra uma intenção de voto mais estável.

Mas apesar da leve vantagem de Marta, a disputa não está definida, pois Russomanno está chegando próximo de seu piso (os 22% que ele possui hoje é muito próximo dos 21% que teve no primeiro turno da eleição de 2012) e a candidata do PMDB passou a ser bastante atacada por Doria, Haddad e Erundina.

Doria mostra força também no segundo turno

A consistência da candidatura de João Doria Júnior (PSDB) também pode ser percebida nas simulações de segundo turno (ver tabelas abaixo), onde ele já aparece tecnicamente empatado com Celso Russomanno (PRB) e Marta Suplicy (PMDB).

No embate contra Celso Russomanno, embora Doria ainda esteja numericamente atrás, ambos estão em situação de empate técnico. Nota-se que desde o início da propaganda na TV, Doria cresceu 22 pontos percentuais. No mesmo período, Russomanno perdeu 19 pontos.

CANDIDATOS Datafolha (23 a 24/08)

%

Datafolha (08/09)

%

Datafolha (21/09)

%

Celso Russomanno (PRB) 63 52 44
João Doria Júnior (PSDB) 16 28 38
Branco/nulo 19 18 17
Indecisos 3 3 1

Contra Marta Suplicy, a vantagem numérica da candidata peemedebista é de apenas um ponto. Em cerca de 30 dias, Doria cresceu 16 pontos, enquanto Marta perdeu 8 pontos.

CANDIDATOS Datafolha (23 a 24/08)

%

Datafolha (08/09)

%

Datafolha (21/09)

%

Marta Suplicy (PMDB) 50 48 42
João Doria Júnior (PSDB) 25 33 41
Branco/nulo 23 15 15
Indecisos 3 3 2

João Doria Júnior, que usou muito bem sua trajetória pessoal como empresário de sucesso para se apresentar como alguém dissociado da política tradicional, também se beneficia do desgaste de seus adversários (Haddad é o atual prefeito. Marta e Erundina já foram prefeitas. E Russomanno, apesar de nunca ter sido prefeito, concorreu ao cargo em 2012 e também acumula desgaste). Também joga a favor de Doria o fato dele ser a novidade da disputa.