Em discurso na ONU, o presidente Michel Temer afirmou que o Brasil recebeu 95 mil refugiados. No entanto o próprio Comitê Nacional para Refugiados (Conare), um órgão do Ministério da Justiça, informa em seu site que o Brasil tem 8.800 refugiados de 79 países. A diferença se dá pela inclusão de 85 mil haitianos recebidos depois do terremoto de 2010. A convenção internacional sobre o assunto defina como refugiados apenas pessoas que deixam seus países em razão de perseguição racial, religiosa, política ou social. (Estadão)

Cunha acusa Moreira Franco e preocupa Planalto

Em entrevista ao Estado, o ex-deputado Eduardo Cunha afirmou que o programa de concessões do governo Temer “nasce sob suspeição”, com risco de escândalo. Ele acusa diretamente o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco de estar envolvido em irregularidades no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) e na obra do Porto Maravilha – projeto de revitalização da área portuária do Rio. “Na hora em que as investigações avançarem, vai ficar muito difícil a permanência do Moreira no governo”, disse Cunha. Auxiliares de Temer atribuem as denúncias a uma vingança do ex-deputado cassado. (Estadão)

 

TSE: delatores da Lava-Jato depõem em processo da chapa Dilma-Temer

Foram ouvidos na última sexta e nesta segunda, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, delatores da Lava-Jato no processo das ações que correm no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a cassação da chapa Dilma-Temer que venceu as eleições presidenciais de 2014. Nos depoimentos surgiram informações sobre a campanha de 2010 mas não de 2014. Acusação e defesa se colocam de forma oposta: “Esta ação é improcedente. Ela deveria tratar dos fatos ocorridos durante as eleições de 2014, mas as testemunhas só falaram sobre o pleito anterior” – Flávio Caetano, que defende Dilma Rousseff. José Eduardo Alckmin, um dos advogados contratados pelo PSDB, vê com outros olhos o resultado dos depoimentos realizados na sexta-feira: “Os fatos foram colocados, mas cada um faz a interpretação que quiser. Nós sustentamos que os recursos também chegaram a 2014. (O Globo)