A nova pesquisa Ibope mostra que a disputa entre Celso Russomanno (PRB), Marta Suplicy (PMDB) e João Doria Júnior (PSDB) por duas vagas no segundo turno deverá ficar cada vez mais acirrada.

Segundo a sondagem, na comparação com agosto, Russomanno oscilou negativamente três pontos, índice que está no limite da margem de erro admitida (3%). Marta, por sua vez, teve uma oscilação positivamente três pontos. Já Doria, cresceu oito pontos. Fernando Haddad (PT) permaneceu estável, enquanto Luiza Erundina (PSOL) caiu quatro pontos.

captura-de-tela-2016-09-16-as-12-55-21

A incógnita até o primeiro turno da eleição (2 de outubro) é se a intensidade da queda de Russomanno será forte o suficiente para deixá-lo de fora do segundo turno, assim como ocorreu em 2012.

Embora ainda apareça em primeiro lugar, o candidato do PRB poderá ficar de fora do segundo turno, pois está perdendo votos em praticamente todas as faixas de renda.

Assim, Russomanno, Marta e Doria lutarão pelas duas vagas disponíveis no segundo turno nas próximas semanas, já que Haddad encontra bastante dificuldade para se tornar competitivo.

Além da elevada rejeição (48%), sua administração é considerada ruim/péssima por 53% dos paulistanos. O índice ótimo/bom da gestão Haddad é 15%. Chama atenção que a intenção de voto no atual prefeito (9%) é seis pontos inferior a aprovação de sua administração.

No campo da centro-esquerda, Fernando Haddad e Luiza Erundina estão bem abaixo de Marta Suplicy. Hoje, Marta possui 11 pontos percentuais de vantagem sobre Haddad. Também está 15 pontos à frente de Erundina.

Ou seja, sem o surgimento de um fato novo, a tendência é que Marta seja a candidata da centro-esquerda no segundo turno. Seu adversário deve sair da disputa entre Celso Russomanno x João Doria Júnior.

Na conjuntura atual, Russomanno ainda está na frente. Porém, a queda de Russomanno combinada com o forte crescimento de Doria nas últimas semanas poderá levar o candidato do PSDB ao segundo turno.

As intenções de voto segundo as faixas de renda

Celso Russomanno (PRB) ainda lidera em três das quatro faixas de renda. Porém, em três delas (mais de 5 salários mínimos, mais de 2 a 5 salários e mais de 1 a 2 salários) registra uma forte queda. Nesses mesmos segmentos, tudo indica que a maior parte do voto que antes estava com Russomanno está migrando para João Doria Júnior (PSDB).

Quem também vem em queda livre, caindo em todas as faixas de renda acima da margem de erro, é Luiza Erundina (PSOL). Parte do capital político de Erundina deve estar migrando para Marta Suplicy (PMDB), duas das quatro faixas de renda. Fernando Haddad (PT), por sua vez, ficou praticamente estável, independente da renda dos eleitores.

Veja abaixo a divisão do voto nas diferentes faixas de renda:

MAIS DE 5 SALÁRIOS MÍNIMOS: Ao crescer nove pontos percentuais, João Doria Júnior assumiu a liderança nessa faixa do eleitorado. Marta Suplicy também cresceu ao somar seis pontos na comparação com o que tinha em agosto (ver tabela abaixo). Celso Russomano foi o grande prejudicado junto ao eleitor de maior renda ao registrar uma perda de seis pontos, seguido por Luiza Erundina que perdeu cinco. Fernando Haddad oscilou negativamente dois pontos. Ou seja, Doria e Marta ganharam eleitores que até agosto estavam com Russomanno e Erundina.

captura-de-tela-2016-09-16-as-12-55-33

MAIS DE 2 A 5 SALÁRIOS MÍNIMOS: Russomanno ainda lidera nesse segmento, porém perdeu oito pontos percentuais em relação a agosto. Quem mais cresceu foi Doria (10 pontos), seguido por Marta (três pontos). Agora, os candidatos do PSDB e PMDB empatam nessa faixa do eleitorado. Haddad oscilou positivamente um ponto, enquanto Erundina perdeu quatro. Novamente, Doria e Marta avançaram sobre os eleitores que antes declaravam voto em Russomanno e Erundina.

captura-de-tela-2016-09-16-as-12-55-41

MAIS DE 1 A 2 SALÁRIOS MÍNIMOS: Celso Russomanno também lidera nessa faixa de renda, mas perdeu nove pontos percentuais na comparação com a pesquisa anterior. João Doria Júnior foi quem mais cresceu: nove pontos. Marta Suplicy ficou estável. Fernando Haddad oscilou positivamente três pontos, enquanto Luiza Erundina perdeu quatro pontos. Mais uma vez, Russomanno e Erundina foram os candidatos que mais perderam eleitores. Ao que tudo indica, esses votos migraram para Doria e Haddad, já que Marta ficou estável.

captura-de-tela-2016-09-16-as-12-55-55

ATÉ 1 SALÁRIO MÍNIMO: É a única faixa de renda em que Russomanno conseguiu crescer na comparação com a sondagem anterior. O candidato do PRB ganhou oito pontos percentuais. Porém, novamente quem mais cresceu foi Doria (11 pontos). A novidade em relação as faixas de renda anteriores é que, nesse segmento, Russomanno ganhou e não perdeu pontos. Marta oscilou positivamente um ponto. Haddad ficou estável. E Erundina perdeu seis pontos. Houve também uma redução do índice de brancos, nulos e indecisos, que caiu de 28% para 17%. É possível que Erundina tenha perdido votos para Russomanno, enquanto Doria pode ter crescido sobre brancos, nulos e indecisos.

captura-de-tela-2016-09-16-as-12-56-03

Como os concorrentes diretos de Marta Suplicy por uma lugar no segundo turno estão estagnados (Fernando Haddad) ou em queda (Luiza Erundina), é alta a chance que uma das vagas seja da candidata do PMDB.

Já a outra vaga no segundo turno virá do embate entre Celso Russomanno x João Doria Júnior, duelo que deve esquentar nas próximas semanas.