Dois ministros do PMDB foram substituídos durante o período de interinidade de Michel Temer pelos secretários-executivos das respectivas pastas. Dyogo Oliveira assumiu o Planejamento com a saída de Romero Jucá, e Alberto Alves assumiu o Turismo com a saída de Henrique Eduardo Alves. Na própria página do Planalto os dois constam como interinos.

A efetivação de Michel Temer no cargo não trará nenhuma grande mudança na equipe ministerial. Ele mesmo disse, na sua primeira reunião ministerial, que não deveria mudar. Mas ajustes pontuais devem acontecer.

É consenso de que o ocupante da AGU, Fábio Medina Osório, é fraco para os desafios postos. Outro fato é que o PP estaria super-representado (com Blairo Maggi e Ricardo Barros) e, ainda, que o ministério do Desenvolvimento Agrário seja recriado dado o imenso desafio de regularização fundiária em terras produtivas.