Rodrigo Janot, procurador-geral da República encaminhou ao STF contrário ao pedido da defesa de Dilma questionando a atuação do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB) ao aceitar o processo contra a petista. Segundo Janot, as reportagens jornalísticas citadas por Dilma em sua defesa são “incapazes” de demonstrar como a oposição de Cunha foi determinante para o sim da Câmara. Destaca a atuação do Conselho de Ética onde foram examinados todos os aspectos que levaram ao aval da Câmara sobre o impeachment. (Estadão)

Lava-Jato: Janot reconhece lentidão dos inquéritos no STF

Rodrigo Janot, procurador-geral da República, reconheceu nesta terça-feira que o ritmo dos inquéritos que investigam políticos citados na Lava-Jato correm com lentidão. O procurador atribui ritmo lento à não ser característica de tribunal formar processo, mas sim julgar recurso. Sem nenhum condenado, quase 40 inquéritos da Lava-Jato estão em curso no STF. O Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF), presidido por Janot, prorrogou por mais um ano o funcionamento da força-tarefa em Curitiba, até pelo menos 8 de setembro de 2017. (O Globo)

Temer antecipa volta e discute sobre protestos

O presidente Michel Temer chegou na manhã de terça feira (6) ao país e foi recebido na base aérea de Brasília pelos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que exerceu a presidência com a viagem de Temer à China. Sem agenda definida o presidente se reunirá com o núcleo duro do governo para acertar detalhes da sua participação no desfile do Dia da Independência, avaliar as manifestações e alinhar a situação política para acelerar a agenda de reformas. (Estadão)