O presidente Michel Temer comentou, em Xangai, a decisão do Senado Federal de separar a perda de mandato de Dilma Rousseff e a inabilitação dela a cargos públicos, e classificou a situação como “pequeno embaraço”. Temer também disse que a mensagem de reunificação e pacificação nacional de seu primeiro pronunciamento foi pensando no bem dos brasileiros. E classificou como “movimentozinhos” as manifestações de quem se insurge. (O Globo)

Temer tenta apresentar país estabilizado a empresários na China

Diante de cerca de 400 empresários brasileiros e chineses, o presidente Michel Temer e seu ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, buscaram apresentar um país pacificado em plena retomada de confiança. “É um país seguro e estável, não há conflitos políticos ou religiosos”, disse Meirelles durante palestra. Segundo Temer, “o fundamento central” de seu governo é uma série de responsabilidades: fiscal, monetária e política. (Folha)

Reforma da Previdência: idade mínima de 65 anos

Michel Temer analisa proposta de reforma da Previdência que estipula a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres no Brasil. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, informa que a nova regra, se aprovada, será aplicada sobre os trabalhadores abaixo de 50 anos, acima dessa idade valerá uma regra de transição de 40% ou 50% a mais no tempo que falta para a aposentadoria integral. (Estadão)