No depoimento inicial que fez ao plenário, com cerca de 45 minutos, Dilma afirmou que o governo buscou o reequilíbrio fiscal em 2015, mas as medidas propostas à época pelo Planalto sofreram “forte resistência” na Câmara no período em que Cunha presidia a Casa. O deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara e responsável por acolher o pedido de abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff, divulgou nota à imprensa na noite desta segunda-feira (29) para dizer que a presidente afastada “mente” em seu depoimento ao Senado na sessão do julgamento final do impeachment. (G1)

Procuradoria fala em tentativa de forçar aceitação de delação da OAS

O Ministério Público justificou nesta segunda-feira (29) a suspensão da delação da empreiteira OAS, investigada na Operação Lava Jato, e argumentou em nota que a divulgação do teor do que seria delatado é uma “tentativa de forçar os investigadores a aceitar a colaboração mediante pressão externa”. A negociação entre Pinheiro e as autoridades foi suspensa pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, após vazamento à imprensa de informação que mencionava o ministro do Supremo Dias Toffoli. (Folha)

Alvo da Lava-Jato em Goiânia é encontrado morto

O supervisor de qualidade da empresa de Saneamento de Goiás (Saneago), Claudionor Francisco Guimarães Filho, foi encontrado morto nesta segunda-feira, 29, em Goiânia. Claudionor foi alvo de condução coercitiva e busca e apreensão na Operação Decantação, a Lava Jato do Cerrado, na quarta-feira, 24. Claudionor foi encontrado no Jardim Botânico de Goiânia, segundo o jornal ‘O Popular’, enforcado em uma árvore. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de suicídio. (Estadão)