A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no inquérito que investiga o tríplex do Guarujá. Ele também foi enquadrado por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. A ex-primeira-dama Marisa Letícia e o ex-presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, também foram indiciados. É o primeiro indiciamento formal contra Lula, nas apurações da Lava Jato em Curitiba. (Estadão)

Renan diz que julgamento é feito num ‘hospício’

A sessão de julgamento do impeachment de sexta-feira (26) foi suspensa pela segunda vez quando Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado reclamou dos colegas, afirmando que a sessão era um “hospício”. Renan ainda criticou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) pela afirmação feita ontem de que o Senado não tinha moral para julgar a presidente Dilma. Ricardo Lewandowski, em meio a gritos, antecipou o almoço, suspendendo mais uma vez a sessão. (O Globo)

Lewandowski faz lobby durante impeachment

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, tem aproveitado o julgamento do impeachment no Senado para trabalhar a aprovação do reajuste dos salários dos ministros do Supremo. Assessores de Temer reclamam da pressão sobre os senadores, mas a assessoria nega que Lewandowski esteja em campanha. Aprovação prejudicaria o ajuste fiscal gerando um efeito cascata nos gastos com pessoal do Judiciário e executivos estaduais. (Folha)