Começa quinta-feira (25) às 9h a votação final do impeachment. Os primeiros dias serão dedicados a questões de ordem e testemunhas. Dilma fará sua defesa no dia 29, quando poderá ser interrogada tanto por acusação quanto pela defesa. São necessários 2/3 dos votos, ou 54 votos, para aprovar o impeachment. (O Globo)

Dilma diz que Temer quer antecipar o impeachment por medo de delação

Em entrevista ao SBT, a presidente afastada Dilma Rousseff afirmou que Michel Temer e aliados querem adiantar a votação por medo do surgimento de novas informações comprometedoras, no âmbito da Operação Lava-Jato. Disse também não ter medo “nenhum” de uma eventual condenação.

“Se tiver de ser alvo da Lava Jato, com razões embasadas, eu serei. Agora, quero ver onde vão embasar razões para eu ser alvo da Lava Jato. (Sobre temor de condenação). Nenhum, eu sei o que eu fiz”, justificou. (Folha)

Temer pede empenho da Câmara para votar maior número de matérias possível

Michel Temer, presidente em exercício, pediu aos líderes partidários empenho na votação e aprovação de matérias “mais fortes” esta semana, durante reunião realizada na residência oficial do presidente da Câmara Rodrigo Maia

Entre as matérias urgentes estão: a Medida Provisória 722/2016, que abre crédito extraordinário de R$ 180 milhões para o Ministério do Esporte, os destaques ao projeto que trata da renegociação da dívida dos Estados e a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), entre outras matérias que estão com data para caducar. (Estadão)