Por 48 votos a 12, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara rejeitou recurso do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que tentava retardar o processo por quebra de decoro parlamentar. Assim, o caso poderá ir para votação no plenário, que decidirá se cassa ou não o mandato do parlamentar. Mas isso deverá ocorrer somente em agosto, após o fim do recesso branco da Câmara. Antes da votação na CCJ, Cunha já tinha anunciado que, caso derrotado, recorreria à Justiça. (O Globo)

Teremos harmonia muito maior, diz Temer após eleição de Rodrigo Maia na Câmara

O presidente em exercício Michel Temer (PMDB) comemorou o resultado da eleição na madrugada de hoje, que elegeu Rodrigo Maia (DEM) como novo presidente da Câmara e ressaltou que se há um Legislativo em oposição ao Executivo fica difícil governar. “Acompanhei com muito cuidado e interesse o que lá acontecia e verifiquei uma coisa curiosa. Estamos pregando a pacificação do País, a harmonia entre poderes de Estado e o que assistimos ontem lá era a pregação de uma harmonia interna, de uma distensão”, afirmou, após cerimônia no Planalto, quando atendeu aos apelos da imprensa para comentar sobre a sucessão de Eduardo Cunha. (Estadão)

Dilma fará acenos à equipe econômica de Temer para tentar se salvar do impeachment

Foi calculado o discreto elogio de Dilma Rousseff a Henrique Meirelles (Fazenda). A presidente afastada tem sido fortemente orientada a sinalizar que manterá a equipe econômica de Temer caso reassuma o poder. Serão feitos acenos aos poucos. Para voltar, Dilma mandará recados de mudanças também no time político. A tática é vender um projeto de governabilidade, inclusive com menos PT nos postos de comando. A chance de reversão do quadro no Senado, porém, ainda é vista como remota. (Folha)