A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira a Operação Turbulência com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro que atuava em Pernambuco e Goiás e que teria movimentado mais de R$ 600 milhões desde 2010. A investigação foi iniciada a partir da análise de movimentações financeiras suspeitas detectadas nas contas de algumas empresas envolvidas na aquisição da aeronave que transportava o ex-governador de Pernambuco e então candidato à Presidência, Eduardo Campos, no acidente que levou a sua morte em agosto de 2014. Segundo a PF, o esquema financiou a campanha de reeleição do então governador de Pernambuco, em 2010. (O Globo)

Russomanno lidera disputa em SP com 26%, aponta Ibope; Haddad tem 7%

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (21) mostrou que Celso Russomanno, deputado federal e pré-candidato pelo PRB, lidera a corrida eleitoral pela Prefeitura de São Paulo. Ele tem 26% das intenções de voto. Russomanno tem um processo contra ele no STF (Supremo Tribunal Federal) que pode torná-lo “ficha-suja” e inviabilizar sua entrada na disputa pela prefeitura. (Folha)

Agenda do presidente da OAS pós-Lava Jato inclui Lula e assessor de Dilma

A Operação Lava jato apreendeu na casa de um funcionário da OAS uma agenda com o registro das reuniões, almoços e jantares com políticos, do presidente da empreiteira, José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro, logo após a deflagração da Operação Lava Jato. São encontros, a maior parte deles em hotéis de Brasília, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com os ex-ministros José Dirceu e Gilberto Carvalho e com o ex-assessor da presidente Dilma Rousseff Charles Capela de Abreu – todos investigados pela Procuradoria da República. (Estadão)