Pesquisa CNT/MDA divulgada hoje, a primeira desde o início do governo Michel Temer, mostra que o presidente em exercício conseguiu reduzir o pessimismo em relação ao governo. Na comparação com a gestão Dilma, a avaliação negativa (“ruim/péssimo”) da administração Temer caiu 31,9 pontos percentuais (ver tabela abaixo). A avaliação positiva (“ótimo/bom”) de Temer, por sua vez, é praticamente idêntica à da presidente afastada (ver tabela abaixo).

1

Constata-se também a opinião pública resolveu esperar um pouco mais antes de expressar seu julgamento, já que cerca de 1/3 dos entrevistados declara que não sabe avaliar a gestão Michel Temer. Como a economia ainda não deu sinais de melhora, o que só deve ocorrer de médio a longo prazo, 54,8% dos entrevistados entendem que os governos Dilma e Temer são iguais, pois “não se percebe nenhuma mudança no país”.

A corrupção continua sendo um desafio para Temer, pois 46,6% dos entrevistados acreditam que a corrupção “será igual à do governo Dilma”, o que explica a preocupação do presidente com esse tema. Não é por acaso que até agora os ministros citados na Lava Jato acabaram demitidos de seus cargos.

Devido ao alto índice de desemprego, 57% responderam que a prioridade do governo deve ser a geração de empregos. Por esta razão, 35% consideram que a reforma trabalhista é a miais importante.

Embora alguns senadores se mostrem indecisos em relação à aprovação do impeachment de Dilma Rousseff, a opinião pública é a favor do afastamento definitivo da presidente. O discurso do PT de que trata-se de um golpe não encontra respaldo na população: 61,5% avaliam que o processo contra Dilma é legítimo.

Vale mencionar que para 44,1% dos entrevistados, a corrupção do governo federal é vista como o principal motivo para o impeachment de Dilma. As pedaladas fiscais são citadas por 33,2%. De uma forma geral, o levantamento pode ser considerado positivo para o presidente interino, principalmente pela redução da rejeição ao governo na comparação com Dilma.