O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), criticou o possível encurtamento de prazos na Comissão do Impeachment. Em nota divulgada nesta sexta-feira, 3, o peemedebista disse ver com “preocupação as iniciativas para comprimir prazos do colegiado”. Ele também endossou a tese do ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, de que a mudança nas datas do cronograma poderia “sugerir supressão do direito de defesa”. (Estadão)

Temer nomeia como secretária suspeita de ‘articulação criminosa’

Apontada pelo Ministério Público Federal como integrante de uma “articulação criminosa”, a ex-deputada federal Fátima Pelaes (PMDB-AP) foi nomeada nesta sexta-feira (3) para chefiar a secretaria de políticas para as mulheres, vinculada ao Ministério da Justiça. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União. A escolha da peemedebista, que é presidente do PMDB Mulher, foi antecipada pela Folha e foi sugerida ao presidente interino, Michel Temer, pela bancada feminina na Câmara dos Deputados. (Folha)

Aliados de Dilma tentam virar votos no Senado com proposta de plebiscito e novas eleições

Emissários da presidente afastada Dilma Rousseff começaram a fazer sondagens nesta quinta-feira com líderes dos partidos da base e senadores que estão avaliando a possibilidade de votar contra o impeachment, sobre a proposta de derrubar o afastamento, e, de volta ao cargo, ela articularia a realização de um plebiscito junto com as eleições municipais de outubro sobre a interrupção de seu mandato e realização de eleições em 90 dias, com mandato tampão de dois anos sem direito a reeleição e até uma Constituinte exclusiva. A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) e o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) têm colocado a proposta em conversas com os senadores. (O Globo)