Após acatar questão de ordem que reduz o processo de impeachment em 20 dias, o presidente da comissão especial, Raimundo Lira (PMDB-PB), decidiu adiar a votação do calendário no colegiado para consultar o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. Lira fez um acordo com os aliados da presidente Dilma Rousseff, que concordaram em apresentar um recurso ao presidente do STF ainda nesta quinta-feira, 2. Assim, a deliberação sobre o planejamento dos trabalhos no colegiado fica suspensa até que o ministro se posicione sobre o tema. (Estadão)

STF mantém Cunha como primeiro réu da Lava Jato no tribunal

Por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) manteve nesta quinta-feira (2) a decisão do próprio tribunal que transformou o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no primeiro réu da Lava Jato na Corte. Os ministros negaram recurso apresentado pela defesa de Cunha questionando pontos do julgamento de março do STF que aceitou a denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o peemedebista, abrindo uma ação penal. (Folha)