1. Em entrevista ao SBT, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a idade mínima de 65 anos (homens e mulheres) para se aposentar “aparentemente” deve ser a norma adotada no Brasil. Historicamente, as mulheres sempre se aposentaram anos mais cedo. O ministro questionou o conceito de direito adquirido e defendeu que a reforma inclua os trabalhadores atuais que ainda não contribuíram por 35 anos. Quanto às mesmas regras valerem para homens e mulheres, Meirelles disse que o assunto está em estudo, mas lembrou que “a maior parte dos países está caminhando para isso” (Folha).
  2. O TCU abriu duas novas frentes de apuração contra Dilma. O tribunal acolheu pedido do Ministério Público de Contas para averiguar se a presidente afastada infringiu a Lei de Responsabilidade Fiscal em 2016 ao acelerar o gasto de dinheiro público com despesas discricionárias — aquelas que o governo não tem obrigação de executar. Também decidiu autorizar a análise das nomeações feitas no apagar das luzes diante de indícios de desvio de finalidade. O caso corre em sigilo (Painel – Folha).
  3. Um dos principais integrantes da “tropa de choque” do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado André Moura (PSC-SE) anunciou ontem que ocupará o posto de líder do governo Michel Temer na Câmara. André Moura foi alçado à liderança do governo com o apoio de treze partidos, entre os quais PMDB, PSD, PP e PR. Antes mesmo de anunciar que assumiria o posto, ele se apresentou como tal durante reunião dos líderes partidários com o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) – G1.

Agenda:

  • 9h30 – Eduardo Cunha vai ao Conselho de Ética para fazer sua defesa.
  • 11h – Romero discute meta fiscal com Renan Calheiros.