O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo, afirmou nesta sexta-feira, na sessão da comissão que analisa o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado, que o fato de as operações com os bancos públicos terem sido maiores do que em governos anteriores não caracteriza as pedaladas fiscais como empréstimos. (O Globo)

Dilma chama de ‘ridícula’ denúncia que embasa pedido de impeachment

Às vésperas da votação do impeachment no plenário do Senado, que poderá afastá-la temporariamente do cargo, a presidente Dilma Rousseff chamou de “ridícula” a denúncia que embasa o pedido de seu afastamento e disse que o processo é uma tentativa de chegar ao poder de um grupo que não teve votos suficientes na última eleição presidencial. (Folha)

Primeiro desafio de Temer é restaurar confiança no Brasil, diz Meirelles

O ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles afirmou que um grande desafio a ser enfrentado por um eventual governo Michel Temer (PMDB) é, “em primeiro lugar, restaurar a confiança na solvência futura do Estado brasileiro”. Meirelles teve nesta sexta-feira, 29, seu terceiro encontro com o vice – desta vez, na casa de Temer em São Paulo – e disse não haver “convite formal” para assumir o Ministério da Fazenda. “A conversa hoje foi fundamentalmente informativa, de aconselhamento, de apresentação de diagnóstico e sugestões”, afirmou. “É um prosseguimento de conversas. Ele está conversando com várias pessoas. E certamente é um passo importante para que ele possa se informar sobre a situação real e as diversas visões.” (Estadão)