1. O PT ficou 13 anos no poder e não construiu uma alternativa de comunicação com o país. Sua política de comunicação sempre foi atacar a imprensa e financiar a mesma imprensa.
  2. Sob a retórica da governabilidade, o PT fez alianças com Deus e o Diabo, mas nunca tratou de fortalecer o campo da esquerda que, paradoxalmente, hoje lhe defende.
  3. O PT assistiu seus principais nomes irem para cadeia acusados de corrupção, viu a maior estatal do país ser saqueada por ladrões nomeados pelo governo, e ainda assim não escreveu uma só linha de autocrítica.
  4. O PT – e Lula, seu capitão-mor – passou os últimos anos detonando nos bastidores Dilma e o ministro Cardozo. Dilma está de saída do governo junto com Advogado que jamais lhe traiu e que, de forma republicana, não aceitou interferências na Policia Federal. Nenhum dos dois jamais foi acusado de corrupção. Outra vez, o PT silenciou sua autocrítica. Aliás, não silenciou. Lula segue falando mal de Dilma nos bastidores.
  5. O PT nasceu como Partido de Trabalhadores. Chegou ao governo embalado por sonhos de justiça social. Seus dirigentes, no entanto, manejam somas, patrimônios, e favores imperiais. Outra vez, nenhuma autocrítica.
  6. O PT – Partido dos Trabalhadores – trata como algo corriqueiro, trivial fazer campanhas eleitoriais na casa das centenas de milhões. Os gerentes e mentores dessas campanhas estão nessa cadeia. Outra vez nenhuma autocrítica.
  7. Nomes sensatos do PT já foram embora da legenda. Outros estão de malas prontas. Os poucos que ficam seguem num silêncio angustiante. O que será que José Genoíno tem a falar sobre tudo isso?
  8. As correntes minoritárias do PT sempre foram pregadores no deserto contra os desmandos de José Dirceu e sua turma. Hoje, Dirceu está na cadeia, mantém uma casa reformada por uma empreiteira, dá consultorias para quem paga. Por que as correntes minoritárias seguem pregando no deserto e o grupo de Dirceu segue mandando no PT?

Enfim, escrevo esse desabafo porque não queria ficar com ele engasgado no final de semana. Pelas razões acima, nunca votei em Dilma. Ainda assim, o impeachment não me seduz.