1. Delação de Marcelo Odebrecht avança. Dono da maior empreiteira do País, preso há quase dez meses, começa a prestar depoimentos a fim de assinar colaboração com a Justiça. Depoimentos são dados na sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde ele está preso. Para que o acordo seja homologado pela Justiça, Marcelo precisa confessar todos os crimes que tenha praticado e revelar fatos relevantes ainda desconhecidos pelos investigadores (Estadão – p.A12).
  2. O Banco Central comprou US$ 20 bilhões para segurar dólar. Com expectativa do impeachment, empresas e investidores estrangeiros estão revendo suas operações e forçando a queda da moeda (Estadão – p.B4). O Brasil deve R$ 3,2 bilhões a órgãos como a ONU e a Organização Mundial da Saúde. O Orçamento prevê pagamentos de apenas R$ 250 milhões neste ano e inadimplência pode levar País a perder o direito de voto nesses organismos (Estadão – p.B3).
  3. Integrante do grupo terrorista do Estado Islâmico fez ameaça ao Brasil em novembro do ano passado por meio da rede social Twitter, informou ontem a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). “Brasil, você será nosso próximo alvo”, afirmava a mensagem do francês Maxime Hauchard, integrante do grupo. Segundo a Abin, o perfil de Hauchard na rede social foi apagado (Valor).

Eventos:

  • 8h55 –Câmara abre sessão para discussão do impeachment da presidente Dilma.
  • 15h30 – Ministros Nelson Barbosa e Valdir Simão comentam LDO em entrevista coletiva.