Empresário depõe sobre propina de US$ 5,1 milhões para Eduardo Cunha

O empresário Leonardo Meirelles relatou nesta quinta-feira ter sido informado pelo doleiro Alberto Yousseff de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recebeu US$ 5 milhões desviados da Petrobras. Ele informou que usava as contas de suas empresas no exterior para movimentar dinheiro de Youssef, mas não tinha conhecimento de que parte desses valores eram para Cunha. O fato só lhe foi contado posteriormente, durante um almoço com o doleiro. Meirelles, que é um dos delatores da Operação Lava-Jato, prestou depoimento no fim da manhã e no começo da tarde desta quinta-feira no Conselho de Ética da Câmara. (O Globo)

Oposição diz que governo troca emendas por votos

O senador Ronaldo Caiado, líder do DEM no Senado, acusou o governo de usar a verba de emendas parlamentares para barganhar votos contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. De acordo com ele, o Ministério da Fazenda adiantou pagamentos e priorizou a verba de emendas pagas individualmente aos parlamentares em vez de verbas para as bancadas dos Estados. Deputados de oposição também reforçaram as acusações contra o governo. (Estadão)

Crédito encolhe e inadimplência cresce em 2015, aponta relatório do BC

O cenário de retração da economia, juros altos, desemprego e redução no nível de confiança dos consumidores e empresários levou a uma queda no nível de crédito no país e a um aumento da inadimplência no ano passado. Segundo o último Relatório de Estabilidade Financeira, divulgado nesta quinta (7) pelo Banco Central, bancos privados reduziram em 8,2% a concessão de crédito, e bancos públicos, vetor das políticas públicas de incentivo ao crédito, tiveram crescimento quase nulo, de 0,2%. (Folha)