Eduardo Cunha, impeachment e PMDB são os principais temas da agenda política de março.

Temas de março:

O futuro do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), começa a ser analisado pelo Supremo Tribunal Federal. A Corte julgará se aceita o pedido de abertura de inquérito contra ele por suposto envolvimento na Operação Lava-Jato. A tendência é de que seja aceito.

O Supremo também deve julgar os embargos de declaração apresentados por Cunha a respeito do rito do impeachment. A Comissão da Câmara que analisará o processo contra a presidente Dilma Rousseff deve começar a funcionar no fim do mês.

Uma nova manifestação popular em favor do impeachment está marcada para o dia 13. A primeira do ano. Os movimentos pró-impeachment ganharam a adesão da oposição (PSDB, DEM, PPS, SD, membros do PSB e PMDB), que criou uma comissão para organizar ações pelo afastamento da presidente. Mas o apoio ao impeachment caiu de 62,8% (julho de 2015) para 55,6% (fevereiro), segundo pesquisa CNT/MDA.

Uma semana após as manifestações, no dia 19, o PMDB realizará sua convenção nacional, devendo reeleger o vice-presidente da República, Michel Temer, como presidente da sigla. A julgar pelo último programa partidário, o principal aliado do governo deve fazer duras críticas à gestão da presidente Dilma. No encontro, não será abordado o tema de uma eventual saída do PMDB do governo.

Também termina no dia 19 o período previsto na Emenda Constitucional nº 91 para a migração de detentores de cargos eletivos para outros partidos sem risco de perda do mandato.