Em conflito com o Palácio do Planalto, o PT apresenta um Programa Nacional de Emergência para pressionar Dilma a mudar a política econômica. A possível ausência da presidente na festa de 36 anos do partido amanhã, e o apoio do governo ao projeto que retira da Petrobras a exclusividade para operar a exploração do pré-sal são alvo de críticas da cúpula petista, que se queixa dos juros, dos cortes orçamentários e da proposta de reforma da Previdência (Estadão – p.A8). Confira outros destaques dos jornais desta sexta-feira:

  1. O PT chega aos 36 anos num momento crucial de sua relação com Dilma. Não pode mais defendê-la e, no entanto, precisa. Ao eterno ajuste fiscal agregam-se agora duas pautas que tocam fundo o coração de seu militante, como a reforma da Previdência, que tem como única justificativa acenar que o giro liberal do governo é para valer. E busca ao menos um consenso com a oposição. O outro item de divergência é o que retira a obrigatoriedade da Petrobras de participar com 30% dos leilões do pré-sal (Estadão – p.A8).
  2. O desemprego sobe a 7,6% em janeiro, maior taxa para o mês desde 2009. Segundo o IBGE, a população desocupada atingiu 1,9 milhão de pessoas no mês passado, aumento de 42,7% na comparação com janeiro de 2015. Por região, no mês, a população ocupada teve quedas em Belo Horizonte (-2,2%) e Rio de Janeiro (-1,4%), permanecendo estável nas demais (Estadão – p.B14).

Eventos:

  • 13h30 – Dilma se reúne com Michele Bachelet, no Chile.
  • 15h – Ministério do Trabalho divulga dados sobre desemprego em janeiro.