A agência Standard and Poor’s (S&P) rebaixou novamente a nota de crédito soberano do Brasil ontem, mais de cinco meses após o país perder o selo de bom pagador pela agência. O rating foi cortado em um nível, passando de BB+ para BB, com perspectiva negativa. O rebaixamento para a categoria “especulativa” aconteceu menos de 50 dias após a agência ter mudado a perspectiva para negativa (G1). Além dessa, confira as notícias que irão agitar esta quinta-feira (18):

  1. O governo apresentou sete propostas sobre reforma da Previdência no Fórum de Previdência Social, no Palácio do Planalto: 1) Demografia e Idade média das aposentadorias; 2) Financiamento da Previdência Social: receitas, renúncias e recuperação de créditos; 3) Diferença de regras entre homens e mulheres; 4) Pensões por morte; 5) Previdência rural: financiamento e regras de acesso; 6) Regimes Próprios de Previdência; e 7) Convergência dos sistemas previdenciários (Folha). O PT pode aprovar resolução na próxima semana, na reunião de seu diretório nacional, orientando a bancada do partido a votar contra a reforma da Previdência.
  2. PT constrange Barbosa e quer se descolar da gestão Dilma. Durou pouco a lua de mel do PT com o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, no cargo há apenas dois meses. A prova disso é o plano econômico paralelo em elaboração pelo partido, cujo texto básico foi discutido na reunião do conselho político do partido, na segunda-feira, com a presença de Lula, de ex-governadores e parlamentares (Valor).
  3. A jornalista Mirian Dutra Schmidt, com quem o ex-presidente Fernando Henrique manteve um relacionamento amoroso, sustenta que ele bancou despesas de seu filho Tomás no exterior por meio de uma empresa. Em entrevista à Folha, ela afirma que esses pagamentos coincidiram com o período em que FHC comandava o país, mas não quis revelar a identidade da companhia, mas garantiu ter provas para atestar o que diz. Segundo a Folha, a Brasif Exportação e Importação foi a empresa que enviava recursos para Mirian.

Eventos:

  • Sessão do Congresso Nacional para promulgar a Emenda Constitucional nº 91, que abre “janela” de 30 dias para troca de partido sem perda de mandato.
  • O Supremo julga a constitucionalidade do artigo 6º da Lei Complementar nº 105/2001, que permite o fornecimento.
  • Os líderes dos partidos da Câmara se reúnem, às 10 horas, na Presidência da Câmara, para discutir a distribuição das 23 comissões permanentes.