Três assuntos que merecem destaque nesta sexta-feira:

  1. Os participantes do Conselhão apoiaram ontem as medidas apresentadas pelo governo federal, mas mostraram ceticismo quanto à vontade real do governo de implementar cortes drásticos na máquina pública e promover reformas de longo prazo. Empresários e representantes da sociedade civil reconheceram a necessidade urgente do ajuste fiscal para retomada do crescimento sustentado, mas foram críticos quanto à estratégia de recriar a CPMF. alguns deixaram o evento antes do discurso de encerramento de Dilma.
  2. Ex-ministra dos governos Lula e Dilma, a senadora e pré-candidata do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, defendeu o impeachment da presidente. Ex-petista, Marta disse ser anti-PT e acusou o partido ao qual foi filiada de receber recursos públicos em esquemas de corrupção. “Impeachment não é golpe”, disse. Em seguida afirmou que Dilma desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal.
  3. Em ano marcado pelo desaquecimento da economia e forte queda da arrecadação de tributos, o governo central encerrou 2015 com o maior déficit primário da história, de R$ 114,985 bilhões. O resultado negativo, antes do pagamento dos juros da dívida, já corresponde a 1,94% do PIB. As contas fecharam no vermelho pelo segundo ano consecutivo.

Eventos:

  • Sérgio Moro deve ouvir depoimento do ex-ministro José Dirceu.
  • Banco Central divulga resultado das contas do setor público consolidado em dezembro.