1. Com dificuldades para enfrentar a frustração de receitas com a recessão econômica, os governadores se reúnem em Brasília, nesta segunda-feira, 28, para fechar uma agenda comum que possa melhorar o ambiente econômico do país. Eles vão apresentar propostas de solução para os seus problemas fiscais. O documento será entregue ao ministro da Fazenda, Nelson Barbosa.
  2. Responsável pela mobilização de um dos maiores contingentes de militantes pró-Dilma nas ruas, o presidente da CUT, Wagner Freitas, afirmou, em tom de ameaça, que ela corre o risco de perder o apoio nas ruas e, consequentemente, o mandato presidencial. Ele também está insatisfeito com a demora do no anúncio de medidas que representem mudança na política econômica.
  3. O Palácio do Planalto articula com a base aliada no Congresso um esforço para aprovar, no início de 2016, as contas da presidente Dilma Rousseff do ano passado – questionadas pelo TCU e base para o pedido de impeachment – e deixar “mais robusta” a defesa da petista no processo de impeachment. A ideia é aproveitar a atual composição da Comissão Mista de Orçamento (CMO), hoje favorável ao governo.
  4. Incomodado com a recepção negativa, tanto do mercado quanto da base histórica do PT aos primeiros movimentos do novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pressiona o governo para anunciar logo nos primeiros dias de 2016 medidas concretas que sinalizem mudanças na política econômica rumo à retomada do crescimento. Para o petista, a criação de expectativas positivas no início do segundo ano do governo Dilma Rousseff é fundamental para garantir apoio popular à presidente na batalha contra o impeachment.