Destaques dos jornais

  1. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, se rendeu à realidade e pediu demissão do governo. Esvaziado, a ponto de ser considerado um ministro zumbi na Esplanada, ele admitiu a interlocutores que não havia mais condições de permanecer à frente da chefia da equipe econômica. A perspectiva é de que, já na próxima semana, ele seja substituído. São vários os nomes que estão circulando no Planalto como possíveis sucessores de Levy. Entre eles, o do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Nas conversas com aliados, Dilma tem sido aconselhada a escolher um nome com peso político, que teria autoridade para negociar com o Congresso Nacional uma agenda de reformas. Entre os mencionados estão os do ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro (PTB-PB), e do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que teria recusado as primeiras sondagens. Também é citado Luiz Guilherme Schymura, diretor do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre).
  2. O Supremo Tribunal Federal só deverá decidir sobre o pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois de 1º de fevereiro de 2016, quando termina o recesso do Judiciário, que começa amanhã. A informação é da Secretaria de Comunicação do Supremo. O relator do processo, ministro Teori Zavascki, recebeu ontem o pedido da Procuradoria Geral da República, com 190 páginas.
  3. O PMDB do Senado articula movimento para tirar Michel Temer da presidência do partido na convenção em março. O racha entre as alas pró e contra impeachment antecipou a disputa sobre qual dos grupos comandará o maior partido do país. A ideia é substituir Temer por Romero Jucá ou Renan Calheiros. Aliados do vice dizem que opositores tentam, sem sucesso, tirá-lo do posto desde 2005.

Destaques da agenda

  • O Banco Central divulga o IBC-Br, considerado uma prévia do PIB, de outubro.
  • IBGE divulga o IPCA-15 de dezembro.
  • O Ministério do Trabalho divulga dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de novembro.